mai 19, 2016

Temos que conversar sobre terapia e artesanato

Terapia e Artesanato

Já é sabido que o artesanato é uma fonte de renda, mas muitas pessoas não sabem que ele também é uma forma de expressar emoções, de relaxamento e de terapia. Uma pesquisa realizada pela Universidade de Columbia Britânica, no Canadá, revelou que atividades manuais como tricotar, bordar ou pintar, reduzem em até 74% a intensidade de medos e distúrbios alimentares em mulheres com anorexia.

Outro ponto da pesquisa foi sobre as práticas manuais, a preservação da memória e equilíbrio emocional em pessoas entre 70 a 89 anos. Outra pesquisa realizada pela Universidade de Harvard afirma que bordar e tricotar conduz ao relaxamento similar à meditação e à yoga, pois, após passar a curva inicial da aprendizagem, a prática pode diminuir os batimentos cardíacos, a pressão arterial e os níveis de hormônios ligados ao estresse.
A sociedade atual vive cada vez mais apática e veloz, ao passo que, a pressão do dia a dia traz um descontentamento, angustiando o indivíduo, o que gera problemas de saúde.

O artesanato é uma válvula de escape para essas emoções que se tornam adormecidas por conta das relações contemporâneas. O uso de agulhas, fitas de cetim, linhas, dentre outros muitos materiais possibilitam a ocupação das mãos e incentivam saúde mental, assim, o tempo passa mais rápido e mais gentilmente.

Entre fitas, agulhas, linhas e tintas  um encontro com você mesmo

As técnicas manuais que são repassadas de pessoa para pessoa podem ser um alívio para problemas do cotidiano, propondo bem-estar e revitalização. Em casos de idosos, estudos revelam que as práticas manuais como o artesanato utilizado como recurso terapêutico ativam os canais sensoriais durante a execução, permitindo que a imaginação flua e as emoções também. Outro ponto importante é sobre a memória que está ligada às pontas dos dedos, por terminações nervosas que fazem a ligação até o cérebro.

Assim, aumenta a percepção, a atenção, as funções executivas e até mesmo a linguagem. Essa última, muito importante para a expressividade das emoções, pois quando se verbaliza, a realidade é concretizada, desta forma, o indivíduo constrói uma realidade diferente daquela anterior, uma realidade muito mais livre. Importante também para a saúde mental é a socialização que o artesanato propõe, evitando que a pessoa se sinta sozinha e desenvolva depressão.

Muitas pessoas, após eventos cirúrgicos traumáticos, em busca da superação da dor, procuram auxílio no artesanato terapêutico e ele tem revelado muitos benefícios, como descreve o artigo do jornal Folha de São Paulo. Os relatos das pessoas que encontraram alívio nessas práticas manuais esboçam que elas alcançaram ao concluir alguma peça, bordado, tricô ou crochê um fechamento de ciclos e puderam voltar a sonhar com a vida.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *