mar 9, 2016

PH FIT – Uma Breve história das embalagens – do primitivo a modernidade

Uma Breve história das embalagens

Durante a história da embalagem foram utilizados todos os tipos de materiais: desde cascas de árvores, folhas, conchas até aqueles de última geração elaborados em laboratório. A embalagem surgiu pela necessidade de se guardar, armazenar ou transportar alimentos, líquidos ou objetos, e para essa finalidade, buscaram, inicialmente, produtos vindos da natureza. As primeiras embalagens das quais se tem notícia surgiram há 4 mil anos a.C, produzidas por bexigas de animais e fibras de plantas trançadas. O uso do vidro para essa finalidade é datado por volta de 3 mil anos a.C, voltado para armazenar óleos e perfumes.

Os anos passaram lentamente, e as mudanças econômicas e políticas se estagnaram na Idade Média, e isso refletiu também no uso das embalagens, que passaram por muitos anos sendo produzidas em couro, pedra, metais, vidro, madeira, fibras vegetais e lascas de madeira.
O despertar da humanidade, conhecida como Renascimento, veio trazer luzes ao conhecimento e avanços significativos na forma como viviam até então. Com esse salto no conhecimento, foi possível novas formas de se embalar e consumir. Sobre o consumo, precisavam de novos lugares, portanto começaram as grandes navegações sobre o pretexto de traçar uma nova rota comercial nas Índias, saindo pelo Atlântico e chegando à América. Como seus recursos tecnológicos não permitiam grandes velocidades, havia uma necessidade maior de conservar por um longo tempo os alimentos e a água. A preocupação com a embalagem foi mais efetiva, visto que necessitavam desse instrumento para sobreviverem.
O tempo foi passando, e o período que antecedeu a 1ª Guerra Mundial foi muito rico tecnologicamente. Com os conflitos, o uso de embalagens feitas de metais e vidro foi exponencialmente elevado, visto que eles conservavam melhor os alimentos às tropas de soldados.

Revolução industrial e o império do plástico

A grande marca na humanidade foi a invenção da indústria e da máquina a vapor, que permitiu confeccionar materiais em grande escalas. As novas máquinas que surgiram posteriormente, vieram com necessidade de realizar uma vedação melhor, e a busca por novas formas de materiais, como o plástico, surgiu para ampliar as possibilidades de transporte e acondicionamento.

A palavra plástico advém do latim e significa “do que pode ser modelado”. Foi uma revolução na forma de se armazenar e hoje tudo é composto por ele. Contudo, com os problemas ambientais tão evidentes e o risco à natureza, buscam-se novos recursos para substituí-lo.
O homem possui uma relação de dependência com o plástico, e o desafio que instaura-se na história da embalagem é o de encontrar um substituto à altura que não traga tantos impactos como esse tipo de material.

Os rótulos falam com você

O rótulo também tem sua história e teve seu desenvolvimento paralelo às embalagens. Desde o século XV utilizam-se os rótulos nas embalagens comercializadas, sendo que, naquela época as embalagens eram feitas uma a uma manualmente, como os livros. Muitos anos rolaram e as embalagens permaneceram simples, sem muito apelo visual.

O mundo sofre transformações toda vez que há um crise, e com a história dos rótulos não foi diferente. Anteriormente, até 1930, os vendedores orientavam as compras dos consumidores, mas com a crise de 1929 e suas consequência nos anos seguintes, muitas pessoas perderam seus empregos, dando espaço a novas formas de comércio. Os mercados começaram a disponibilizar, como conhecemos hoje em dia, por prateleiras e gôndolas. As embalagens deveriam fazer o papel do antigo vendedor, e os rótulos assumiram essa função, transportando-se para a publicidade e marketing. Os rótulos deviam conter também informações sobre aquele produto, com os dados relevantes.

Ao longo do tempo as embalagens ultrapassaram a função de proteger o produto, expressando também uma mensagem, o laço nessa história toda, e a valorização da embalagem com fitas e outros detalhes que arrematam em grande estilo a comunicação com o consumidor, oferecendo-o como um presente e fazendo aquele momento de consumo um momento especial.

Referências:

http://kazola.com.br/lounge/vamos-viajar-no-tempo-e-conhecer-a-historia-/

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *