mar 21, 2017

Os detalhes que fazem a diferença

O primeiro contato do cliente com o produto é através da embalagem, por isso a importância de pensá-la bem. Embalagens atraentes, bem cuidadas e que refletem o posicionamento do produto no mercado são importantes no momento de escolha do cliente. Pensando nisso, o catálogo PH FIT traz uma série de opções para tornar notável esse primeiro contato. São laços, fechamentos e fitas de cetim que trazem valor e delicadeza para o produto.

A importância dos detalhes

A embalagem é muito mais do que segurança e proteção para o produto. Ela é a representação da empresa, a personalidade da marca que tem contato direto com o cliente. Cria-se assim, uma aproximação marca-cliente que é essencial no processo de venda, pois essa relação é de identificação e fidelização. Pequenos detalhes podem fazer grandes diferenças nesse processo e um pequeno laço de fita de cetim é capaz de transformar seu produto em um presente inesquecível.

A boa apresentação agrega valores de funcionalidade, identidade e personalidade ao seu produto e isso é uma eficiente ferramenta de fidelização do cliente. Outros pontos não menos importantes a serem considerados no planejamento de uma embalagem marcante é a segurança do produto aliada à praticidade. A PH FIT conta com uma equipe especializada que busca sempre soluções inovadoras para cada projeto de embalagem.

Um fechamento especial é uma fita de cetim personalizada com fecho em velcro, elástico ou dupla face, de acordo com as caraterísticas e necessidades do seu produto. Além disso, para transformar seu produto em algo mais que especial, a PH FIT disponibiliza em seu catálogo diversos tipos de laços prontos e de fácil aplicação.

Rápido, fácil e especial. Se praticidade, sutileza e eficiência são a cara do seu produto, as fitas de cetim elásticas PH FIT são a sofisticação pedida.

Além de todas as características práticas de uma embalagem, o valor dado a ela está nos detalhes. São as pequenas escolhas que têm grandes efeitos! Para impulsionar as vendas, ser notável é a melhor opção.

mar 7, 2017

A versatilidade do gorgurão

Algumas peças são tão memoráveis que até mesmo o puro material utilizado na fabricação nos remete a elas. Um desses materiais é a fita de gorgurão. Poucos sabem o nome, mas todos possuem algo com detalhe em gorgurão.

Com características específicas, como o material mais espesso e as ondulações, o gorgurão é utilizado nas mais diversas peças. Músicos utilizam fitas de gorgurão mais largas para produzirem sons melhores em cuícas, enquanto os crachás empresariais são feitos de fitas de gorgurão mais estreitas e estampadas. É, também, um dos queridinhos da indústria da moda.

Com composição 100% poliéster, as fitas de gorgurão se diferenciam das fitas de cetim devido à sua estrutura mais encorpada, com material mais espesso, e padrão canelado. Porém, delicadeza e versatilidade não faltam para essas fitas. Com aplicações das mais diversas, as fitas de gorgurão estão presentes no dia a dia de todos, seja em acessórios, calçados, decorações ou mesmo em embalagens para lembrancinhas.

Na delicadeza das mamães, a fita de gorgurão faz o encanto dos laços que enfeitam as meninas e nas gravatinhas dos meninos. Na indústria da moda, grandes marcas utilizam gorgurão para dar acabamentos sofisticados em bolsas, sapatos e cintos. A elegância das fitas de gorgurão foram destaque em grandes desfiles, como a São Paulo Fashion Week de 2015 que contou com o uso artesanal da fita.

Contudo, o valor das peças não está nos preços, mas naquilo que elas representam. As fitas de gorgurão trazem sofisticação e delicadeza aos mais diversos trabalhos, como esse belíssimo colar de fita de gorgurão torcida que o Clube de Artesanato trouxe como inspiração. Um laço de fita de gorgurão traz a dedicação, o carinho e o cuidado postos na elaboração, além de trazer valor à peça. Com inovação, criatividade e um acabamento com fitas de gorgurão, um simples trabalho torna-se grandioso.

jan 31, 2017

Força da fita: como elas se tornaram símbolo de várias lutas e movimentos

23nov2012-a-fita-azul-simbolo-do-movimento-da-saude-do-homem-foi-distribuida-a-todos-os-modelos-do-desfile-e-seus-acompanhantes-1353690028363_956x500-629x238

Outubro é o mês rosa e utiliza a fita de mesma cor como símbolo. O Outubro Rosa é uma campanha para alertar as mulheres sobre os cuidados e a prevenção ao câncer de mama. Rosa é a cor do movimento que tomou conta desse mês. Outras cores, outros meses e movimentos existem, mas o símbolo continua o mesmo: a fita.

Para dar maior visibilidade para seus movimentos, iniciativas de mobilização da população aderiram às fitas de cores diferentes. Mas de onde veio a ideia de utilizar fitas? Em 1990, ativistas contra a AIDS utilizaram fitas vermelhas presas em seu peito esquerdo, perto de seus corações, representando suas lutas. Desde então, fitas com finalidade de representar um movimento começaram a ser chamadas de fitas da consciência. Elas ganharam cores diferentes, meses diferentes e movimentos diferentes, mas todos com mensagens de cuidados com a saúde, ou com a representação de um movimento de minorias.

Significa das Fitas

As fitas ganharam uma significação especial na área da saúde, ganhando notoriedade internacional. O movimento Outubro Rosa, é um ótimo exemplo, ele nasceu nos Estados Unidos, na mesma década que o movimento contra a AIDS e é celebrado internacionalmente com campanhas pelo mundo todo promovendo a conscientização sobre o câncer de mama. Outras campanhas da área de saúde também são reconhecidas, como Novembro Azul (câncer de próstata), Dezembro Vermelho (AIDS), Fevereiro Roxo (Lúpus), Setembro Amarelo (suicídio) e outros.

As fitas também são símbolos para movimentos de áreas fora da saúde. Existem fitas da consciência de diversas cores para muitos tipos causas, como as fitas de conscientização preta para nos lembrar do Holocausto, fitas roxas contra a homofobia, fitas cor de laranja a favor da proteção animal, fitas verdes apoiando a preservação ambiental.

Não importa a causa ou a cor, as fitas sempre estarão presentes como símbolos de lutas e mobilizações pois se destacam e te deixam em evidência.

ago 22, 2016

A valorização do trabalho manual

A valorização do trabalho manual

Em um mundo movido pela velocidade do rolar das máquinas e engrenagens, há um distanciamento da paciência e do ato de apreciar, promovido pelo fazer com as próprias mãos. Este distanciamento inibe o processo de auto realização e autoconhecimento das pessoas.

Fazer algo é transformador e esse é o mote do escritor e pesquisador de estudos avançados em cultura na Universidade da Virginia Matthew B. Crawford.
Durante o caminhar da humanidade, o trabalho passou por várias transformações em seu significado e no impacto que faria na sociedade. Para os gregos antigos, trabalho manual era algo rústico, e eles preferiam se dedicar à política e a filosofia, enquanto na renascença, o trabalho do artesão era exaltado. Após a Revolução industrial, o trabalho se tornou o centro das vidas das pessoas, assim como o culto aos bens de consumo.
Contudo, sempre há aqueles que vão romper com a ordem vigente e irão fazer diferente. Uma tendência atual é a realização de práticas paralelas aos trabalhos centrais, como hobbies sérios que levam muitas pessoas a realizarem trabalhos manuais e empregar mais valor a eles.

O autor já citado no texto é uma dessas pessoas diferentes que romperam com a ordem estipulada e, em seu livro “Shop Class as Soulcraft – An Inquiry Into the Value of Work”, ele aborda que uma mudança significativa está em andamento. O que se fazia com as próprias mãos, compra-se pronto hoje, o que se consertava, substitui com outro exemplar novo. Essa troca fez com que o homem perdesse suas habilidades manuais, fazendo-o passivo e dependente, contribuindo para que o verdadeiro valor do trabalho se perdesse em meio a tanta automação.

Ainda para o autor, pessoas que trabalham mais próximas aos fenômenos da natureza conseguem realizar relações mais coerentes, diferentemente de quem lida mais com o trabalho abstrato e ignora a matéria-prima da realidade, que tende a gerar dogmas baseados em pouca observação e mais intransigentes.

A desvalorização do trabalho manual é histórica e remete à transformação da produção em série da Era Fordista e às novas formas de gerir um negócio, baseadas no custo-benefício, estendendo-se, nos dias de hoje, aos setores de serviços.

Quando há uma dissociação negativa no valor do trabalho manual, alguns laços necessários para as relações humanas são sacrificados em prol do crescimento econômico. Sem o valor humano, nenhuma forma financeira consegue se sustentar por muito tempo, e acaba entrando em crise.
O valor está na possibilidade da criação manual e no trabalho envolvido. Tempo, dedicação e conhecimento, ou melhor, acúmulo de experiências e conhecimento. O trabalho manual, como o artesanato é inerente ao homem, fazendo parte de sua concepção e quando se distancia dele, perde-se sua verdadeira essência.

É por isso que a PH FIT valoriza e incentiva a produção manual, em forma de artesanato, através de sua iniciativa “Clube de Artesanato”.

Confira no site: http://www.clubedeartesanato.com.br/

ago 8, 2016

Emotional Branding – o detalhe que faz a diferença para a sua marca.

Emotional Branding

O conceito de que a marca é construída por tendências buscadas no mercado, por meio da segmentação de público em faixas etárias e classes sociais, ficou ultrapassado com as diferentes possibilidades de negócios e os muitos cenários de fala que a empresa utiliza para se comunicar com seu público. Hoje é buscada a identificação com comportamento posicionado da marca no mercado, o que possibilita a construção de empatia com um público maior que quer se sentir parte integrante ou representada pela marca. O conceito que despontou já há algum tempo na relação marca e público é o emotional branding, que aposta na emoção como norteadora para a sua comunicação, baseada na identificação e representação com o público. Contudo, a marca tem que possuir um posicionamento coerente com o que ela realmente acredita, senão pode ser desastroso.

Nas últimas décadas o marketing tornou-se algo imprescindível para a construção da marca, ao passo que, muitas vezes foi revisto e reformulado, buscando inspiração na Psicologia e Sociologia para entender melhor o perfil do consumidor. Com a Internet, o comportamento do consumidor mudou, agora, ele tem uma voz e pretende ser escutado. Nesse sentindo, surgiu o conceito branding para definir as estratégias dentro de uma gestão de marketing as quais a empresa irá inserir em sua gestão. A marca assumiria uma persona que falaria com o consumidor, que representaria o público e que refletiria em seu estilo de vida. A ruptura com o padrão de marketing anterior e esse novo conceito foi a possibilidade de a marca ser representante não somente de uma faixa etária ou classe social, mas de quem se identifica com sua filosofia.

O emotional branding é a intensificação do conceito de branding com apelo emocional no desenvolvimento dos processos conceituais, buscando a humanização da marca. Por meio de vínculos afetivos são revisitados sentimentos que remetem a algo específico da vida do consumidor, alguma lembrança ou bandeira da qual a marca se torne porta-voz. Esta ação cria um impacto importante de identificação, atraindo mais público e fidelizando os que já são consumidores.

A PHFIT acredita na identificação da marca com o público por meio do detalhe e essa é a nossa função, levar o diferencial através de soluções de embalagens e fitas que proporcionam uma experiência nova de consumo. Trabalhamos com diversos modelos e temos vários casos de sucesso de soluções para empresas.

Referências:

https://www.academia.edu/13380130/A_constru%C3%A7%C3%A3o_de_marcas

_pelo_perfil_do_gestor_estrat%C3%A9gia_de_emotional_branding_para_
consolidar_o_posicionamento_de_marca