set 8, 2015

A Tradição e o uso das Fitas

As fitas de cetim estão presentes em diversas manifestações culturais como as Fitinhas do Senhor do Bonfim, a Dança das Fitas, o Boi Bumbá, ou em eventos como alguns casamentos. As manifestações culturais são oriundas da expressão humana, seja através de celebrações e rituais ou por outros suportes. Elas descrevem a identidade de um determinado povo, toda a sua crença, vivência e memória coletiva.

A fita do Senhor do Bonfim é tradição em Salvador, é considerada o amuleto típico da cidade. É muito comum encontrá-la atada nos pulsos e tornozelos de diversas pessoas, moradores ou turistas, e até mesmo amarradas nos portões da famosa igreja do Bonfim, como sinal de fé do visitante. Diz a tradição que o uso dessas fitas advém do antigo costume de utilizar tiras de roupas de santos para ter sorte ou proteção. No entanto, com o passar do tempo, as roupas de santos tornaram-se cada vez mais difíceis de serem encontradas e, por isso, foram sendo gradativamente substituídas por fitas coloridas. Ainda dentro da crença popular, a fita do Bonfim deve ser envolvida com duas voltas no pulso esquerdo e ser atada com três nós, cada um deles correspondendo a um pedido feito em silêncio. Os desejos serão realizados quando a fita romper-se espontaneamente. Há ainda um detalhe que faz toda a diferença: a fita de cetim não deve ser comprada, mas sim, presenteada.

Outra tradição é a Dança de Fitas, uma manifestação milenar de origem europeia, que chegou ao Brasil através dos imigrantes no século passado. Essa manifestação é uma reverência à árvore, após o inverno. Essa dança é realizada no começo a primavera para celebrar a vida e o renascimento da árvore. É formada uma ciranda e os participantes ficam ao redor de um mastro central, durante a translação em ziguezague, vão trançando as fitas, encurtando-a até que fique impossível prosseguir. Faz-se então o movimento contrário, destrançando as fitas. A coreografia segue o ritmo dos instrumentos musicais, como sanfona, violão e pandeiro.  Hoje em dia, embora mais raro, esse costume ainda é encontrado em vários pontos do país, recebendo nomes diversos, como: trancelim, dança-do-trancelim, dança-da-trança, dança-do-mastro, trança-fita, vilão, trançado, engenho ou moinho.

Já com o uso das fitas em casamento, a tradição é dos países sul-americanos. Em casamentos na Argentina e no Peru a tradição é feita com as convidadas dos sexo feminino. As fitas são dobradas entre as camadas do bolo de casamento, e antes de ser cortado, cada mulher deve puxar uma das fitas, aquela que escolher a fita que possui um anel no final de sua ponta, será a próxima a se casar.

As fitas de cetim estão presentes a muito tempo na vida das pessoas e em vários momentos, seja eles em casamentos, festas e manifestações. A PH FIT está presente nisso tudo, ajudando a escrever milhares de histórias com muito amor, carinho e dedicação. Porque é nos detalhes que a emoção está.

A Tradição e o uso das Fitas

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *